Casa Sueli Carneiro
Conheça nossos sites:
Foto: Natália Carneiro
Programação

III FESTIVAL CASA SUELI CARNEIRO APRESENTA A EXPOSIÇÃO “RUAS NEGRAS” INSTITUTO TOMIE OHTAKE, DE 25 DE JUNHO A 07 DE JULHO, DAS 11H ÀS 19H

de 25 de junho a 07 de julho
11h às 19h

As manifestações do movimento negro brasileiro pelas ruas, em registros fotográficos

O III Festival Casa Sueli Carneiro apresenta a exposição fotográfica Ruas negras, em cartaz no Instituto Tomie Ohtake de 25 de junho a 07 de julho, das 11h às 19h, com imagens do movimento negro brasileiro em manifestações de rua.

Com curadoria de Luanda Carneiro Jacoel e Natália Carneiro, diretoras da Casa Sueli Carneiro, e do Coletivo Coletores, a mostra enfatiza o poder de articulação que as manifestações agregam aos movimentos negros, dando visibilidade às suas pautas e reinvindicações.

Reivindicar direitos nas ruas tem sido uma estratégia de busca por liberdade para a população negra brasileira. Além de denunciar o seu genocídio, ainda em curso, é uma forma de afirmar que esta população permanece viva nesses encontros e reencontros, reforçando o sentido de pertencimento e conexão de diferentes gerações, o seu direito à dignidade e o combate ao racismo. 

Dividida em cinco blocos, Ruas negras revela a atuação do movimento negro ao longo de décadas, da colonização aos tempos atuais, por meio de olhares de fotógrafos como Januário Garcia (1943-2021), passando por imagens do Acervo Cultne, até os trabalhos de jovens fotógrafos que tomam as ruas hoje, como Daisy Serena, Natália Carneiro, Thiago Fernandes e Sheila Leoneli.

Os registros de datas marcantes, como 20 de novembro, Dia da Consciência Negra, e 25 de julho, Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha, integram a exposição ao lado de imagens da atuação do Movimento Negro Unificado, da Carta das Mulheres Negras, de 2015, e da Coalizão Negra por Direitos, em frases e bandeiras de organizações paulistas e nacionais.

Ruas negras é corpo e memória da humanidade e da reivindicação por direitos pelos quais todas e todos devemos lutar. Na busca por um país mais justo e igualitário, livre do racismo e do sexismo, as ruas são território de todas as lutas e inspiração para projetos de transformações significativas. 

Sobre os participantes:

Cultne 

O Instituto Cultne é uma organização sem fins lucrativos dedicada à Memória e História da População Negra, tendo como base o seu extenso acervo de cultura e produção intelectual negra, criado a partir de 1980. Seus pilares de atuação são as áreas da Memória e História Pública, Cultura, Educação e Comunicação. O Acervo Cultne atua na formação da ampla consciência acerca da defesa do direito à memória e à história antirracista no Brasil. A valioso acervo foi criado a partir dos acervos da Enúgbárijo Comunicações (Ras Adauto e Vik Birkbeck) e da Cor da Pele Produções (Filó Filho e Carlos Medeiros). A produção conjunta dessas duas produtoras totaliza mais de três mil horas de vídeo, disponíveis no seu canal no  Youtube e na Cultne.TV, o primeiro canal da televisão brasileira 100% dedicado à cultura negra com programação “ao vivo” disponível nos canais da Samsung TV Plus, TCL Channel e Pluto TV.

Januário Garcia 

Januário Garcia (1943-2021) foi fotógrafo e militante no movimento negro, articulando essas duas atividades para produzir uma importante documentação da representação negra na sociedade brasileira. Também atuou na indústria fonográfica, produzindo capas de discos e registros de mais de 90 artistas, entre eles Tom Jobim e Raul Seixas. Registrou o cotidiano e a religiosidade dos moradores do Morro do Salgueiro, no Rio, na década de 1980. Seu acervo fotográfico está sob a guarda do Instituto Moreira Salles, e os documentos reunidos por ele em sua atuação no movimento negro estão guardados no Arquivo Edgard Leuenroth (AEL), da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). 

Daisy Serena

Artista visual, fotógrafa e poeta, tem formação em Sociologia e Política pela Fundação Escola de Sociologia e Política de São Paulo. Como artista visual, estreou com a exposição Tecituras de Tempo & Identidade (Mostra de Criadoras em Moda: Mulheres Afro-latinas, Sesc Interlagos, 2016). Participou das coletivas FotoPreta, com curadoria do Afrotometria (2018 e 2020); Ocupação Olhares Inspirados: Raquel Trindade, Rainha Cabinda (2021); Intersecções, com curadoria de Nabor Junior (2023); Afeto & Memória, projeto da fotojornalista Eliaria Andrade (2023); Chora Agora, com curadoria da fraternidade Vilanismo (2023). Sua primeira exposição internacional foi no Studio Solaura, em Berlim (2022). Tem obras visuais publicadas nas revistas digitais Menelick 2º Ato, Doek! (Namíbia), Nossa Revista e Garupa. É autora de Tautologias (poesia, Padê Editorial, 2016) e tem poemas publicados em diversas revistas e sites.

Thiago Fernandes

Diretor de Cinema, documentarista, fotógrafo e editor, atuou como articulador comunitário no Ponto de Cultura Comunidade Audiovisual. É co-fundador da Produtora Toco Filmes. Produziu pela organização Soweto as campanhas “Eu africanizo SP” e “Eu pareço suspeito?”. Integra e coordena a TV UNEafro, na Uneafro Brasil. Colabora com a comunicação e a construção da Coalizão Negra por Direitos, onde produziu diversas peças publicitárias da campanha emergencial “Tem gente com fome”. Em sua filmografia, destacam-se as obras Tem dono; Casa na marra; Eu pareço suspeito?; Margens; Pandemia da fome; Fenestra; e a websérie Racismo ambiental: terras, territórios e tecnologias. Juntamente com o coletivo CIMM – Cinema no meio do Mundo, organiza o FESTCIMM – Festival de Cinema do Meio do Mundo e a PLAYCIMM – Plataforma de Cinema do Meio do Mundo. É associado da APAN (Associação dos Profissionais do Audiovisual Negro).

Sheila Leoneli 

Pesquisadora e artista multidisciplinar, formada pela vida e mestranda em Artes e Disseminação pela Universidade Metropolitana de Oslo. É cineasta, produtora e idealizadora da “Ìyágbà Kilombo – Território Artístico Femi Exuístico”, projeto que visa mapear, aquilombar e amplificar vozes de mulheres e pessoas lgbtqiapn+ na disseminação de saberes ancestrais através das artes. Mulher preta afro indígena, filha de Elza, neta de Deusa e Jardelina, vive atualmente entre Brasil e Noruega e encontra calmaria no movimento.

Coletivo Coletores 

Formado em 2008, na periferia da Zona Leste da capital paulista pelos artistas e pesquisadores Toni Baptiste e Flávio Camargo, o Coletivo Coletores tem como proposta pensar as cidades como meio e suporte para suas ações, utilizando diferentes linguagens visuais e tecnológicas, discutindo temáticas ligadas às periferias e apagamentos históricos/culturais, bem como o direito à cidade. O coletivo já participou de diferentes projetos ligados à tecnologia, arte e cidade, e exposições em instituições, como SPURBAN, FILE, FONLAD – Portugal; Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo; Instituto Moreira Salles; Sesc, Red Bull Station, Centro Cultural São Paulo, British Council e Bienal de Arte Contemporânea de Dakar. Premiado pelo ProAC por Histórico de Realização em Artes Visuais, em 2021, e indicado ao Prêmio PIPA 2022 e ao MVF Awards 2021.

Luanda Carneiro Jacoel

Filha de Sueli Carneiro, é diretora de programação e legado da Casa Sueli Carneiro. Artista da performance, investiga princípios de ancestralidade, memória e temporalidade no corpo afrodiaspórico. Seu trabalho tem cruzado fronteiras entre dança, ritual, instalação, vídeo e fotografia. Atualmente é doutoranda em performance e artes visuais pela Norwegian Theatre Academy (NTA) e pela Norwegian Film School, na Noruega. 

Natália Carneiro

Jornalista, coordena a comunicação do Geledés – Instituto da Mulher Negra e da Casa Sueli Carneiro. Em seus 16 anos de experiência acompanhando o Movimento Negro e o Movimento de Mulheres Negras, teve a oportunidade de registrar fotograficamente suas manifestações e seus encontros significativos. Alguns desses registros estão presentes na exposição Manifestações do Movimento Negro, na Casa Sueli Carneiro.

RUAS NEGRAS

Ficha técnica:

Curadoria: Luanda Carneiro Jacoel, Natália Carneiro e Coletivo Coletores
Projeto multimídia e expografia: Coletivo Coletores

Trilha sonora: Coletivo Coletores

Produção técnica: Marcela Bovo Marcucci

Projetor: Nova Locações

Equipamentos e técnica: Coletivo Coletores

Montagem: Equipe Saulo dos Santos da Silva

Iluminação: Marcos Franja

Textos: Natália Carneiro, Jefferson Barbosa, Marcha das Mulheres Negras
Produção: Sheila Leoneli
Expositores: Cultne, Daisy Serena, Januário Garcia, Natália Carneiro, Thiago Fernandes e Sheila Leoneli 

Comunicação: Erik Allan, Bela Alves, Natália Carneiro 

Agradecimentos:

Coalizão Negra por Direitos

Cultne

Família Januário Garcia

Geledés Instituto da Mulher Negra

Instituto Moreira Sales

Marcha das Mulheres Negras

Movimento Negro Unificado

Uneafro

SERVIÇO:

III Festival Casa Sueli Carneiro

Exposição fotográfica “Ruas Negras”

Em cartaz: de 25 de junho a 07 de julho

Horário: 11h às 19h

Local: Instituto Tomie Ohtake

Endereço: Rua Coropé, 88 – Pinheiros, São Paulo, SP
Gratuita | *Aberta ao público 

Compartilhar